Aquiles

O que é a Síndrome de Haglund?

O que é a Síndrome de Haglund?

Você já parou para pensar que um esporão pode aparecer em outro lugar que não seja na sola do pé? Pois é. Isso acontece. Em muitas pessoas, ocorre a síndrome de Haglund, mais popularmente conhecida como esporão dorsal do calcâneo. Trata-se, basicamente, de uma anormalidade no calcanhar.

O problema ocorre quando a região óssea posterior do calcanhar aumenta de volume, o que provoca muita dor e deformidade. Essa enfermidade pode acontecer em qualquer pessoa, mas é mais comum em indivíduos que usam calçados com pouca ou nenhuma absorção de impacto, o que sobrecarrega as estruturas osteomusculares. Quanto mais plano e apertado o sapato, mais a região do calcanhar de Aquiles sofre. 

Atenção aos sintomas

Essa síndrome pode manifestar em um ou nos dois pés. O principal relato de pacientes é: muita dor. 

É possível observar, no exame físico, uma protuberância muito visível na parte de trás do calcanhar, acompanhada de vermelhidão e inflamação.

Diagnóstico da Síndrome de Haglund

Para confirmar se as dores nos pés e calcanhares são resultado da síndrome de Haglund, o médico pode requerer exames de imagem. 

Eles são importantes para descartar outras patologias que manifestam sintomas similares (tendinite e artrite, por exemplo). 

Tratamento da condição

Usualmente, o tratamento para a síndrome de Haglund é feito para remediar e aliviar as dores ao utilizar fisioterapia, além de drogas analgésicas e cicatrizantes para tirar a pressão do osso do calcanhar. 

No processo, recomenda-se não usar sapatos apertados demais. Compressas de gelo ajudam a diminuir o inchaço. Investir em uma palmilha que melhora a mecânica dos pés e redistribui o peso corporal pode auxiliar no tratamento da deformidade. Calçados com salto de 3 a 4 cm ajudam a poupar o tendão de aquiles.

Leia mais: Tendinite de aquiles: sintomas, causas e tratamentos

Em casos extremos, cirurgia pode ser cogitada a fim de retirar o excesso de osso do calcanhar e, assim, eliminar a pressão. Os sintomas tendem a melhorar progressivamente, sendo que, quando o paciente relata piora, é preciso investigar a existência de problemas relacionados à doença ou à operação.

A escolha do sapato certo

O sapato correto é aquele que respeita as estruturas dos pés, deixando-as o mais confortável possível. O modelo deve estar entre os dois extremos — nem tão alto nem tão baixo. Se você erra na escolha, joelhos, quadris e coluna também sofrem, pois a pisada errada faz com que as partes articulares acima dos pés tenham que se adaptar ao movimento distorcido para poder executá-lo. 

É interessante pontuar que cada calçado serve a um objetivo. Se você pratica corrida, por exemplo, precisará de um certo tipo de tênis. Se você passa longos períodos em pé no trabalho, não poderá usar o mesmo salto de uma pessoa que fica o expediente toda sentada. Importante, portanto, analisar a situação e optar pela alternativa que alie saúde e conforto. Esse cuidado certamente o afastará da possibilidade de desenvolver a síndrome de Haglund. 

Leia mais: 4 perigos do uso contínuo de rasteirinhas


Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como
ortopedista em São Paulo!

Posted by Dr. Thiago Bittencourt in Aquiles, Inflamação, Tendinite, Todos