Pé cavo

Como é a cirurgia de pé cavo?

Como é a cirurgia de pé cavo?

O pé cavo é uma deformidade que se caracteriza por o arco do pé ter uma curvatura acima do normal. Em alguns casos, a curvatura do arco plantar é acentuada a ponto de não deixar que grande parte do pé toque o chão. 

Um indivíduo que possui esse tipo de alteração anatômica nos pés pode sentir muita dor, além de estar sujeito a lesões e instabilidade no tornozelo. 

Isso ocorre porque o pé suporta todo o peso do corpo humano. Entretanto, essa característica faz com que a distribuição do peso e o amortecimento de impacto não sejam eficientes. De tal sorte que leva a uma compressão dos metatarsos, em um nível posterior, devido à pressão exercida no calcâneo, e em nível do mediopé, na fáscia plantar, o que pode originar esporão de calcâneo.

Quais as causas do pé cavo?

O pé cavo pode ter origem neurológica, ortopédica ou neuromuscular. Essa característica possui causa hereditária e evolutiva. Além disso, pode estar associada a doenças neurológicas, como a charcot-marie-tooth (CMT), que afeta os nervos periféricos progressivamente; a paralisia cerebral; e o acidente vascular cerebral (AVC). 

Cada caso apresenta um tipo de progressão, porém aqueles relacionados a problemas neurológicos podem se intensificar com o tempo. Nas demais origens, a característica não apresenta evolução.

Tipos de tratamento

Em muitos casos, não é necessário tratamento, apenas acompanhamento médico, para observação de uma possível progressão. Ainda assim, quando o paciente apresenta sintomas causados por essa deformidade, pode recorrer ao tratamento convencional.

Nesse tipo de tratamento, pretende-se corrigir a falha anatômica e a pisada, por meio de palmilhas específicas e calçados apropriados, que têm o papel de distribuir o peso do corpo no pé e auxiliar no amortecimento. No combate à dor, recorre-se à fisioterapia, que atua, também, no fortalecimento e no alongamento. Além disso, a fisioterapia contribui para a qualidade da pisada e do movimento do pé. 

A cirurgia torna-se necessária apenas quando o caso é grave e provoca no paciente dor intensa e incessante. 

Como é a cirurgia de pé cavo?

O principal objetivo do procedimento cirúrgico é fazer a correção do pé de maneira que o peso do paciente fique distribuído corretamente ao longo do membro.

A correção desta deformidade no pé pode ser bastante delicada, já que são feitos reposicionamento e realinhamento dos ossos. Além dos ossos, o cirurgião ortopédico poderá verificar a necessidade de realizar procedimentos nos tendões, nos músculos, nas articulações e também nos dedos dos pés, já que todos esses elementos podem contribuir com a formação desse formato côncavo.

A recuperação da cirurgia pode ser delicada e demorada. São, no mínimo, 6 semanas sem poder apoiar o pé no chão. Esse período é necessário para que os ossos, as articulações e os ligamentos se reabilitem. O resultado pode ser percebido apenas 1 ano após a realização da operação. 

Os cuidados pós-operatórios são essenciais para que não haja risco de complicações, que podem causar o retorno da deformidade e a cicatrização incompleta do osso. 

Um pé cavo pode causar lesões e dores incessantes em um indivíduo. Por isso, procurar ajuda médica para avaliar qual é a melhor forma de tratamento é ideal para a correção da deformidade e a eliminação da dor. 

 

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder os seus comentários sobre esse assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como ortopedista em São Paulo!

Posted by Dr. Thiago Bittencourt in Cirurgia, Pé cavo, Todos
Sabia que é possível ler a sua pisada?

Sabia que é possível ler a sua pisada?

Quando o pé toca no chão ao andarmos, ele faz o movimento em que o calcanhar é o primeiro a alcançar a superfície do solo. A maneira com que esse impulso é dado tem um impacto no pé de cada indivíduo. Isso explica o motivo pelo qual alguns calçados possuem a parte posterior desgastada em um local específico. A pisada pode ser determinada por fatores anatômicos. Dessa forma, fatores como o formato dos pés, a rotação dos joelhos e a flexibilidade das articulações são fundamentais. Esse é um dos motivos que fazem com que os calçados não sejam confortáveis para todas as pessoas.

Tipos de pisada

Apesar de cada pessoa pisar de uma maneira diferente, as pisadas são categorizadas em três tipos. Conhecer e saber identificar qual o seu tipo é importante para saber escolher o tipo de calçado e evitar lesões, principalmente durante a atividade física. 

Leia mais: Tipos de pisada: Como identificar o seu

Neutra

A pisada neutra seria a maneira mais correta de colocar os pés no chão, posto que denota alinhamento entre o joelho e o calcanhar. Em suma, esse tipo de pisada utiliza todo o pé ao andar. Além disso, faz com que o peso do corpo seja distribuído de maneira mais homogênea, proporcionando mais estabilidade. 

Estima-se que menos da metade da população mundial tenha esse perfil: cerca de 45% das pessoas. Para identificar esse tipo de pisada, basta observar no tênis e demais calçados um desgaste por igual em todas as partes do solado.

Supinada

A pisada supinada é caracterizada pela projeção da carga corporal para a lateral externa dos pés, pelo afastamentos dos joelhos e pela curva acentuada nas solas, conhecida também como pé cavo. Ou seja, quem pisa desta maneira usa como apoio a parte externa do calcanhar. Por isso, o calçado desse tipo de pisada possui um grande desgaste nessa região.

Pronada

Quem tem a pisada pronada utiliza o lado externo do calcanhar para andar, porém, neste caso, ocorre uma rotação acentuada do pé para dentro, fazendo com que a passada seja finalizada perto do dedão. Esse tipo é o mais popular, atingindo cerca de 50% da população, principalmente mulheres. O desgaste do calçado pode ser observado na parte interna do solado.

Leia mais: É possível corrigir a pisada pronada?

Outra maneira de identificar o tipo de pisada

Além de observar o solado do calçado, outra maneira de se descobrir o tipo de pisada é fazendo o teste. Para isso, molhe a sola do pé e ande em folhas de jornal. A pegada ficará marcada como se fosse um carimbo, tornando mais fácil a identificação conforme as características. Na pisada normal, a área molhada no jornal será mais uniforme. Pessoas que possuem a pisada pronada farão com o pé uma marca maior. Já aqueles que possuem a pisada supinada terão o calcanhar e a ponta do pé como áreas mais marcadas. 

Leia mais: 3 dicas na hora de comprar o tênis certo para esportes

Entretanto, a maneira mais correta e garantida de se descobrir o tipo é consultando com um ortopedista.

Problemas ortopédicos podem ser causados por cada tipo de pegada. Quem tem a pronada pode desenvolver contusões nos ossos do pé e da perna, além de sentir dores no joelho e instabilidade nos tornozelos. Já quem possui pisada supinada tende a ter dores e inflamações no tecido da planta do pé, além de desgaste na patela. Lesões, dores nas costas e deformidades ósseas também podem ser causados pela forma errada de pisar. Por isso é importante corrigir e neutralizar essa forma de pisar. 

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como ortopedista em São Paulo!

Posted by Dr. Thiago Bittencourt in Pé cavo, pé chato , Pé plano, Todos