entorse do tornozelo

3 dicas para evitar entorse do tornozelo durante a atividade física

A entorse do tornozelo é o trauma articular mais comum durante a prática de atividades físicas, independentemente da modalidade que se pratica.

Essa lesão articular está relacionada a um treinamento insuficiente dos músculos e ligamentos da região. Além disso, pode ser resultado de fatores externos, como a superfície em que a atividade se desenvolve.

A entorse do tornozelo é provocada por uma virada brusca do membro, em que o pé se desloca para dentro ou para baixo.

O diagnóstico é realizado por um médico especialista, que examinará clinicamente a lesão e o tornozelo, de acordo com os sintomas. Para o diagnóstico completo, podem ser solicitados exames de imagem, como raio-x, por exemplo.

Leia mais: Como a entorse de tornozelo é diagnosticada

Tipos de torção do tornozelo

O entorse pode ser classificado em três graus distintos, como descrito em seguida:

  • Leve – grau I: alteração das fibras que constituem os ligamentos;
  • Moderado – grau II: rompimento parcial das fibras;
  • Grave – grau III: rompimento total dos ligamentos.

Nesses casos, os ligamentos estiram ou se rompem, parcial ou totalmente, e sua classificação já leva em conta o tempo de recuperação do tratamento. As entorses de grau leve podem ser resolvidas em até 15 dias. Os casos graves, no entanto, podem durar meses.

Leia mais: A Recuperação de Lesões no Tornozelo

Sintomas e tratamentos para entorse do tornozelo

Os sintomas podem incluir:

  • dor contínua e localizada;
  • inchaço;
  • hematoma;
  • incapacidade de movimentar o tornozelo.

O tratamento varia conforme o grau apresentado. Em geral, podem ser realizados os seguintes procedimentos:

  • compressas de gelo sobre o tornozelo por ciclos, lembrando de proteger a pele com um lenço ou outro pano;
  • elevação da perna e do tornozelo;
  • proteção do local com fita elástica envolvendo o tornozelo, ou tornozeleira;
  • uso de muletas ou andador até o alívio da dor;
  • uso de medicamentos;
  • fisioterapia;
  • cirurgia.

Leia mais: Conheça mais sobre os três tipos de entorse de tornozelo

3 dicas para a prevenção da entorse do tornozelo

1. Atente-se ao local do treinamento

A primeira forma de prevenção é observar o local em que o treino ou a atividade será realizada. A superfície do local pode ter buracos, ondulações e piso molhado, por exemplo, que alteram a aderência do calçado esportivo.

Além disso, a superfície pode causar um maior atrito nas paradas, nas mudanças de direção e nos arranques de velocidade. Um exemplo clássico são as torções que ocorrem em jogadores de futebol, quando jogam em um campo irregular.

2. Valorize o treinamento

Especial atenção deve ser dada ao treinamento. Alguns músculos devem receber um programa específico para reforçar sua elasticidade. É o caso dos tibiais e fibulares, responsáveis pela estabilidade dos tornozelos.

Além disso, os exercícios específicos de fortalecimento, equilíbrio e coordenação dos músculos estabilizadores devem ser incluídos no tratamento. Assim, valoriza-se o desenvolvimento dessas habilidades e do condicionamento físico.

3. Proteja a região

Outra forma de proteção é o uso de acessórios na região do tornozelo. Os tensores, faixas, órteses e esparadrapos promovem a segurança ao atleta. Essas medidas podem ser utilizadas tanto na prevenção como na reabilitação da entorse do tornozelo.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como ortopedista em São Paulo!

Comentários
Dr. Thiago Bittencourt

Posted by Dr. Thiago Bittencourt