Fratura de Talus

Fratura de Talus: entenda melhor

O osso que faz a conexão entre o calcanhar e os ossos da fíbula e tíbia da perna, é denominado talus. Este, Por sua vez, é coberto quase que em sua totalidade por uma cartilagem flácida (macia) que absorve e permite movimentação entre os ossos. Quando acontece a fratura de talus, o indivíduo não consegue caminhar.

Causas

As causas principais desse tipo de lesão são quedas de alturas elevadas e choques de grande impacto e diretamente no tornozelo, como acidente de automóveis, por exemplo.

É bem comum essa fratura acontecer em atletas, devido a estarem propícios a sofrerem entorses com mais frequência.

Sintomas da Fratura de Talus

Os sintomas mais habituais dessa fratura consistem em dores muito fortes no local, inchaço e sustentação do corpo totalmente comprometida.

Entretanto, por esses sintomas serem bem parecidos com o de outras lesões, é muito importante uma consulta com um médico ortopedista para que o diagnóstico seja feito com exatidão.

Existem algumas variações da fratura de talus, na qual os sintomas podem ser um pouco diferentes dos mais comuns citados acima. São elas:

1-    Talus minimamente deslocado

Dor intensa no tornozelo normalmente é o primeiro sinal, mas também pode haver sensibilidade e edema no local.

A pessoa consegue caminhar, porém sente dor.

2-    Talus deslocado

O edema, a dor e a sensibilidade são bem maiores. Além disso, o indivíduo provavelmente não conseguirá botar peso no tornozelo fraturado.

3-    Talus aberto

O sintoma mais evidente é a visão do osso colado na pele. A dor ainda será intensa e poderá acontecer sangramento excessivo.

É comum que a pessoa que sofre uma fratura exposta fique desacordada devido a intensidade do choque ou da perda de sangue.

Tratamento

O tratamento é iniciado com uma compressa de gelo no local e a retenção do apoio do pé lesionado.

O médico deverá indicar a utilização de um imobilizador e de muletas para preservar a região afetada.

Caso a lesão seja de uma gravidade maior, o procedimento cirúrgico se fará necessário para diminuir o desvio provocado e prender o osso com pinos, parafusos e placas, até que aconteça a cicatrização completa.

No entanto, também existe a possibilidade que aconteça uma grave complicação na fratura — o chamado comprometimento da irrigação sanguínea no local da lesão — que pode levar a uma necrose avascular ou a uma artrose no futuro.

A fisioterapia ortopédica deve ter início logo que a lesão for diagnosticada ou alguns dias depois em casos cirúrgicos, após a lesão ser apropriadamente estabilizada.

A diminuição da dor e do edema é feita através de electroterapia e o objetivo terapêutico é restaurar a força e os movimentos dos músculos que agem nessa articulação.

Recuperação

Provavelmente o paciente usará uma tala por um período de oito semanas após o procedimento cirúrgico.

Nenhum ou no máximo pouco peso deve ser posto sobre o tornozelo nesse período, mas vale a pena ressaltar que quem decide essa questão é o cirurgião ortopédico.

O processo de recuperação da fratura de talus, pode ser menor desde que a cirurgia tenha sido bem sucedida e o deslocamento da fratura não tenha acontecido com muita gravidade.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como ortopedista em São Paulo!

Comentários
Dr. Thiago Bittencourt

Posted by Dr. Thiago Bittencourt