Fratura por estresse

Fratura por estresse: causas e formas de prevenção

A fratura por estresse é caracterizada pelo desgaste ósseo, causado pela sobrecarga óssea e exercícios repetitivos com grande intensidade. Esse tipo de fratura ocorre porque a carga elevada, sem respeito ao tempo de repouso, excede a resistência do tecido ósseo.

As fraturas iniciam nas partes internas do osso. Se não tratadas, evoluem para uma fratura completa. São mais frequentes entre atletas de salto, vôlei, basquete, bailarinos, bem como corredores esportivos. Há maior incidência em pessoas brancas do sexo feminino. Além disso, os ossos mais afetados são o fêmur, a tíbia e o calcâneo.

Causas da fratura por estresse

A fratura se apresenta com quadros de dor, que se intensificam durante a prática esportiva, e melhoram após o repouso. Caso não haja tratamento adequado e os exercícios continuarem, a dor se torna mais intensa e, então, ocorre edema no local.

Uma das causas da fratura por estresse é a fadiga muscular. Os ossos não conseguem absorver quantidades excessivas de energia. Assim, a função de absorver o choque extra é desempenhada pelos músculos. Quando os músculos fadigam, deixam de absorver grande parte da energia. Essa função, portanto, é dividida com os ossos, mas, no limite, ocorre o desgaste na estrutura fisiológica.

Leia mais: Fratura por estresse dos pés: o que é e como tratar?

Além disso, outros fatores podem causar as fraturas, como:

  • esporte praticado em superfície inadequada;
  • uso de calçado desapropriado;
  • alterações nos membros inferiores;
  • aumento da atividade física, como intensidade, distância e velocidade, por exemplo.

Como prevenir a lesão?

A prevenção deve ser feita de forma multidisciplinar, com avaliação constante do condicionamento do atleta. Por isso, deve ser feito um equilíbrio no treino, para evitar o overtraining disfuncional, avaliações nutricionais e composição corporal. É importante manter o acompanhamento especializado.

Devem-se evitar impactos sequenciais no início do treino e ir aumentando o volume e a intensidade progressivamente. O treino não deve ser exaustivo e deve ter equilíbrio, sobretudo se for um atleta em recuperação.

Os músculos devem ser fortalecidos, a fim de que se tornem mais eficientes para absorver os impactos provocados pelo esporte ou por outras atividades repetitivas de alto impacto.

Leia mais: 6 dicas para evitar lesões esportivas

Em síntese, para evitar a fratura e realizar os exercícios de forma equilibrada, é necessário:

  • treinar com cargas equilibradas;
  • melhorar a força e a flexibilidade dos músculos e do corpo;
  • respeitar o tempo de recuperação dos músculos;
  • evitar impactos contínuos;
  • manter alinhamento postural correto;
  • fazer exames e avaliar o funcionamento corporal periodicamente;
  • usar calçado de acordo com pisada e o esporte praticado;
  • adotar uma dieta com ingestão de nutrientes para uma boa recuperação celular.

O tratamento da fratura por estresse tem o objetivo de acelerar a cicatrização óssea e promover o retorno às atividades esportivas. O repouso é fundamental e, por isso, o indivíduo deve ficar afastado das atividades físicas de alto impacto até a cura da lesão.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como ortopedista em São Paulo!

Comentários
Dr. Thiago Bittencourt

Posted by Dr. Thiago Bittencourt