lesões tendões fibulares

Lesões dos tendões fibulares: sintomas, causas e tratamentos

As lesões dos tendões fibulares são frequentes na prática esportiva e, muitas vezes, não diagnosticadas. Elas devem ser consideradas em todo paciente que apresentar dor crônica na região lateral do tornozelo.

Embora o tratamento permita uma boa recuperação na maioria dos casos, as consequências dessas lesões podem, algumas vezes, ser dramáticas, impedindo o retorno à atividade durante semanas ou meses.

Neste artigo, falaremos sobre as causas, sintomas e tipos de tratamentos para lesões dos tendões fibulares. Confira!

Descrição da condição

Os tipos básicos de lesões dos tendões fibulares são:

  • tendinites — uma inflamação de um ou ambos os tendões, causada por atividade repetitiva e/ou uso excessivo do tendão, além de trauma, como entorse de tornozelo; 
  • rupturas agudas degenerativas — as lesões agudas são causadas por atividade repetitiva ou trauma, enquanto as degenerativas (tendinopatias), geralmente, ocorrem pelo uso excessivo e podem se desenvolver por um longo período de tempo — muitas vezes, por anos. Nas lesões degenerativas, o tendão é como um cordão que foi sobrecarregado até desfiar e eventualmente se desgastar; 
  • subluxação — quando um ou ambos os tendões escorregam de sua posição normal.

Causas de lesões dos tendões fibulares

As lesões dos tendões fibulares ocorrem mais comumente em indivíduos que participam de esportes que envolvem movimentos repetitivos ou excessivos do tornozelo.  Pessoas com arcos mais altos (pés cavos) também têm um risco aumentado de desenvolver lesões.

Principais sintomas

Os sintomas da lesão do tendão fibular podem variar um pouco, dependendo do tipo e gravidade da lesão. Por exemplo:

  • tendinite: dor, inchaço, calor ao toque;
  • Lesões agudas: dor, inchaço, fraqueza ou instabilidade do pé e tornozelo;
  • lesões degenerativas (tendinopatias): dor esporádica (que ocorre de vez em quando) na parte externa do tornozelo, fraqueza ou instabilidade no tornozelo, também pode ocorrer um aumento na altura do arco;
  • subluxação: dor esporádica atrás do osso lateral do tornozelo, instabilidade do tornozelo ou fraqueza.

Diagnosticando de lesões dos tendões fibulares

As lesões dos tendões fibulares podem piorar sem o tratamento adequado e, às vezes, são diagnosticadas erroneamente. Portanto, recomenda-se a avaliação imediata de um cirurgião do pé e tornozelo. 

Durante o exame, o médico verificará se há dor, instabilidade, inchaço, calor e fraqueza no lado externo do tornozelo. Um raio-X ou outros estudos de imagem avançados também podem ser necessários para avaliar totalmente a lesão. 

Tipos de tratamentos

Há dois tipos de tratamentos adequados, como veremos agora.

Não-cirúrgico

  • Imobilização — um molde ou uma tala pode ser usado para imobilizar o pé e o tornozelo, enquanto a lesão se cura;
  • medicamentos — os medicamentos anti-inflamatórios orais ou injetáveis, prescritos, podem ser recomendados para ajudar a aliviar a dor e a inflamação;
  • fisioterapia — o tratamento com gelo e calor pode ser indicado para reduzir o inchaço e a dor. À medida que os sintomas melhoram, os exercícios são adicionados para fortalecer os músculos e melhorar a amplitude de movimento e equilíbrio;
  • órtese — o cirurgião pode prescrever uma órtese para usar por um curto período de tempo, ou durante atividades que exijam movimentos repetitivos do tornozelo. 

Cirurgia

Em alguns casos, a cirurgia pode ser necessária para reparar os tendões e, possivelmente, as estruturas de suporte do pé. O cirurgião determinará o procedimento mais adequado para cada condição e estilo de vida do paciente. 

Após a cirurgia, a fisioterapia é uma parte importante da reabilitação.

Em qualquer procedimento, existem alguns riscos e eles variam de pessoa para pessoa. As complicações, geralmente, são pequenas, tratáveis ​​e não afetam o resultado final. 

No caso do tratamento de lesões dos tendões fibulares, o médico falará com o paciente antes da cirurgia para explicar quaisquer riscos e complicações em potencial que possam estar associados ao seu procedimento.

Então, quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como ortopedista em São Paulo!

 

Comentários
Dr. Thiago Bittencourt

Posted by Dr. Thiago Bittencourt