pé chato

Pé chato ou Pé plano? Conheça as principais causas e tratamentos

Você já prestou atenção ao formato dos seus pés? Será que você é uma das pessoas que possuem pé chato? O pé chato ou pé plano – ambos os termos estão corretos! – não possui a curvatura plantar normal. Para saber, você pode passar tinta guache na planta do pé e pisar sobre uma folha de papel. Se tiver o pé chato, a planta do pé ficará totalmente marcada, sem a curva da sola.

O arco do pé é importante para garantir melhor distribuição do peso do corpo e o amortecimento de impactos da pisada. Quando o arco plantar é muito baixo, o pé não consegue absorver e amortecer esses impactos com eficiência.

O pé chato favorece a ocorrência de fasceíte plantar – inflamação do tecido que reveste a musculatura da sola, a fáscia –, dor no tornozelo, tendinite do tibial posterior e aparecimento de joanetes.

 

Causas do pé chato

Ao observar os pés do bebê, é possível perceber que o arco plantar ainda não está completamente desenvolvido. Além disso, como os pés dos bebês geralmente são “gordinhos” tem-se a impressão de que são planos. À medida que crescem, é possível ter mais certeza se possuem pés chatos ou se o arco plantar é normal, que deve estar formado até a criança completar seis anos.  É importante que os pais fiquem atentos ao formato dos pés e busquem orientação com o médico ortopedista.

O pé chato pode ter origem em fatores genéticos (histórico familiar), má-formação óssea e hiperfrouxidão de ligamentos. Problemas nas estruturas ósseas dos pés causam dor e dificultam o caminhar. Lesões traumáticas e a ruptura de tendões também podem modificar a planta do pé, tornando-o chato.

Leia mais: Tudo o que você precisa saber sobre a tendinite

 

Sintomas do pé chato

Quando há hiperfrouxidão ligamentar, problemas ósseos, lesões e rupturas de tendões, a dor é o principal sintoma. Há dificuldade para caminhar, correr, permanecer muito tempo em pé e praticar esportes e pode ocorrer a formação de calosidades nos pés, cansaço e dor nas pernas.

Leia mais: Calosidade e úlceras nos pés: o que fazer

O diagnóstico é feito através do exame físico, movimento dos pés ao caminhar e avaliação do desgaste da sola do calçado que a pessoa mais utiliza no dia a dia. Além disso, o médico poderá solicitar exames de imagem, como raio-x, ressonância magnética, tomografia ou ultrassonografia dos pés.

 

Tratamento do pé chato

O médico pode recomendar o uso de palmilhas ortopédicas ou calçados especiais aos pacientes com histórico de dor e dificuldade para caminhar com estabilidade.

A fisioterapia é um recurso para pacientes que têm problemas nos tendões como, por exemplo, o tendão de Aquiles muito curto. Se o paciente estiver acima do peso, será necessário emagrecer para reduzir a sobrecarga nas pernas e pés. É importante, também, passar a usar calçados adequados ao tipo de pisada e fazer alongamentos dos pés.

A cirurgia é indicada para casos mais graves, quando o pé chato causa dor, resulta de lesões nos ligamentos e tendões ou quando há existência de barra óssea. Somente o médico ortopedista pode definir o plano de tratamento mais eficaz para o pé chato.

Leia mais: Quando é indicada a cirurgia para correção do pé chato

 

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre esse assunto. Leia outros artigos e conheça mais sobre o meu trabalho como ortopedista em São Paulo.

Comentários
Dr. Thiago Bittencourt

Posted by Dr. Thiago Bittencourt