Pé plano na infância é normal?

O pé plano, nas crianças recém-nascidas, se deve pelo fato de que os ossos são formados por matrizes de cartilagem que ainda não foram calcificadas. Por isso, os pezinhos dos bebês são muito flexíveis.

O desenvolvimento do arco plantar começa, de forma efetiva, a partir do quarto ou quinto ano de vida, época em que musculatura também está em pleno desenvolvimento.

Entenda mais sobre o pé chato na infância logo a seguir!

Desenvolvimento do pé

Antes de seguirmos adiante, vale ressaltar que pé plano na primeira infância é perfeitamente normal e, por isso, não deve ser motivo de grandes preocupações, uma vez que faz parte do desenvolvimento natural da criança.

A curvinha do pé é constituída de músculos, sendo assim, enquanto ainda é muito nova, a criança precisa fortalecer seus pés para que essa curva possa se formar.

O arco principal do pé, também conhecido como arco longitudinal medial, começa a ser formado por volta dos três ou quatro anos de idade. O desenvolvimento prossegue no decorrer dos primeiros dez anos de vida.

Aliás, existem estudos que apontam que o pé ainda não atingiu sua postura madura entre os 7 e 10 anos de idade.

Por isso, é normal ter que esperar que eles consigam obter firmeza nos primeiros anos de vida para depois começar a formar do arco plantar — por volta dos sete anos.

Por outro lado, existem alguns fatores que pode interferir na formação e desenvolvimento natural das estruturas dos pés. Por exemplo, passar pouco tempo com pés descalços, usar calçados muito rígidos, pequenos demais ou muito grandes, ou ainda, mal ajustados.

O que leva ao surgimento de pé plano nas crianças?

É comum encontrar pessoas que acreditam que o pé chato é uma anormalidade na criança e que, por isso, ela vai precisar usar algum tipo de sapato especial, talas, palmilhas e até aparelhos.

Como observamos acima, essa é uma condição normal e está presente no processo de crescimento de qualquer criança. Além disso, 95% daquelas que cresceram com pés chatos desenvolvem o arco normal com o passar dos anos.

Apenas um pequeno grupo terá problemas. Mas a maioria das crianças que têm pé plano persistente não sentem nenhuma dificuldade em realizar atividades físicas ou sentem sintomas de dor, por exemplo.

Em raros casos pode-se verificar algum problema subjacente. Nessas situações, o médico especialista vai analisar cuidadosamente o caso e os sintomas para planejar um trabalho de cuidados contínuos.

Vale lembrar que crianças mais velhas que sentem dor por terem pés chatos ou rígidos e que cresceram com arcos normais, mas desenvolveram a condição mais tarde, precisam de um acompanhamento especial.

Quando o tratamento é necessário?

Se a criança está se desenvolvendo bem sem apresentar nenhum sintoma, normalmente, não é preciso recorrer a nenhum tipo de tratamento. No lugar disso, haverá apenas o acompanhamento da condição.

Entretanto, em algumas situações de pés planos assintomáticos o especialista em ortopedia poderá recomendar o uso de dispositivos ortopédicos personalizados. Já quando há sintomas, é preciso adotar tratamentos específicos que podem ou não ter abordagens não cirúrgicas.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como ortopedista em São Paulo!

Comentários
Dr. Thiago Bittencourt

Posted by Dr. Thiago Bittencourt