pé plano

Pé plano na infância é normal?

O pé plano, nas crianças recém-nascidas, se deve pelo fato de que os ossos são formados por matrizes de cartilagem que ainda não foram calcificadas. Por isso, os pezinhos dos bebês são muito flexíveis.

O desenvolvimento do arco plantar começa, de forma efetiva, a partir do quarto ou quinto ano de vida, época em que musculatura também está em pleno desenvolvimento.

Entenda mais sobre o pé chato na infância logo a seguir!

Desenvolvimento do pé

Antes de seguirmos adiante, vale ressaltar que pé plano na primeira infância é perfeitamente normal e, por isso, não deve ser motivo de grandes preocupações, uma vez que faz parte do desenvolvimento natural da criança.

A curvinha do pé é constituída de músculos, sendo assim, enquanto ainda é muito nova, a criança precisa fortalecer seus pés para que essa curva possa se formar.

O arco principal do pé, também conhecido como arco longitudinal medial, começa a ser formado por volta dos três ou quatro anos de idade. O desenvolvimento prossegue no decorrer dos primeiros dez anos de vida.

Aliás, existem estudos que apontam que o pé ainda não atingiu sua postura madura entre os 7 e 10 anos de idade.

Por isso, é normal ter que esperar que eles consigam obter firmeza nos primeiros anos de vida para depois começar a formar do arco plantar — por volta dos sete anos.

Por outro lado, existem alguns fatores que pode interferir na formação e desenvolvimento natural das estruturas dos pés. Por exemplo, passar pouco tempo com pés descalços, usar calçados muito rígidos, pequenos demais ou muito grandes, ou ainda, mal ajustados.

O que leva ao surgimento de pé plano nas crianças?

É comum encontrar pessoas que acreditam que o pé chato é uma anormalidade na criança e que, por isso, ela vai precisar usar algum tipo de sapato especial, talas, palmilhas e até aparelhos.

Como observamos acima, essa é uma condição normal e está presente no processo de crescimento de qualquer criança. Além disso, 95% daquelas que cresceram com pés chatos desenvolvem o arco normal com o passar dos anos.

Apenas um pequeno grupo terá problemas. Mas a maioria das crianças que têm pé plano persistente não sentem nenhuma dificuldade em realizar atividades físicas ou sentem sintomas de dor, por exemplo.

Em raros casos pode-se verificar algum problema subjacente. Nessas situações, o médico especialista vai analisar cuidadosamente o caso e os sintomas para planejar um trabalho de cuidados contínuos.

Vale lembrar que crianças mais velhas que sentem dor por terem pés chatos ou rígidos e que cresceram com arcos normais, mas desenvolveram a condição mais tarde, precisam de um acompanhamento especial.

Quando o tratamento é necessário?

Se a criança está se desenvolvendo bem sem apresentar nenhum sintoma, normalmente, não é preciso recorrer a nenhum tipo de tratamento. No lugar disso, haverá apenas o acompanhamento da condição.

Entretanto, em algumas situações de pés planos assintomáticos o especialista em ortopedia poderá recomendar o uso de dispositivos ortopédicos personalizados. Já quando há sintomas, é preciso adotar tratamentos específicos que podem ou não ter abordagens não cirúrgicas.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como ortopedista em São Paulo!

Posted by Dr. Thiago Bittencourt in pé chato , Pé plano
Pé plano: sintomas, causas e tratamentos

Pé plano: sintomas, causas e tratamentos

Percebe que seus pés estão se tornando mais retos à medida que você envelhece? Tem sentido dores nos pés, no calcanhar ou na área do arco plantar? Em ambos os casos, se os arcos no interior de seus pés estiverem planos e toda a parte inferior fica em contato com o chão, quando se levanta, é provável que você tenha pé plano.

Continue lendo este artigo para explorar algumas das razões pelas quais uma pessoa pode ter pé plano ou “pés chatos”. Confira!

O que é pé plano?

O pé plano é uma deformidade que ocorre quando o arco do pé desmorona e entra em contato completo ou quase completo com o chão. 

A condição pode ser congênita (ocorrendo no momento do nascimento) ou adquirida (desenvolvendo-se ao longo do tempo, na maioria das vezes como resultado da idade ou lesão).

Como eu sei que tenho essa condição?

Para comprovar se você tem “pé chato”, o indicado é realizar uma visita ao ortopedista. Durante a consulta, ele realizará alguns testes, que podem variar entre podoscopia, que consiste em analisar as “impressões digitais” do pé, aplicadas em um aparelho, além de um teste simples. Ele pede para o paciente ficar na ponta dos pés e analisa como a curvatura e o calcâneo se comportam.

Para complementar o diagnóstico, o especialista pode solicitar exames de imagem, como raio-X e tomografia computadorizada. Especialmente se houver suspeita de alguma condição associada.

Então, se eu tenho pé plano, isso significa que sentirei dor?

Ao contrário da crença popular, ter um pé plano não aumenta, necessariamente, a incidência de lesões e, geralmente, não causa problemas.

No entanto, os “pés chatos” podem causar tensão nos músculos, ligamentos e articulações, gerando dores nos pés, pernas, quadris e costas, estar ficar em pé ou ao caminhar. 

Além disso, indivíduos com pé plano podem desenvolver pés cansados ​​ou doloridos após períodos prolongados de pé ou andando.

Quando o tratamento é necessário e quais estão disponíveis?

O tratamento só é necessário se a condição estiver associada à dor no pé ou no membro inferior. Se não for o caso, não é indicado por, simplesmente, ter o pé plano. No entanto, em quadros graves, ele pode ser garantido, a fim de evitar possíveis lesões futuras.

Os tratamentos iniciais tendem a ser menos invasivos e são frequentemente associados a melhores resultados do que em estágios mais avançados.

É importante lembrar que não há tratamento geral. Ele se concentra em aspectos específicos ou partes do pé, que requerem modificação ou cura. Isso pode ser conseguido de várias maneiras: 

  • exercícios específicos — alongamento da panturrilha, ​​para reforçar o tendão de Aquiles e os músculos posteriores, que podem estar envolvidos no desenvolvimento de um pé plano;
  • palmilhas ou órteses — podem ser usadas para corrigir a deformidade do pé plano ou realinhar o pé e os membros inferiores;
  • cirurgia — geralmente, só é considerada quando o paciente não responde a medidas conservadoras. 

Como vimos, dependendo da condição específica do paciente, possíveis procedimentos cirúrgicos podem ocorrer e envolver:

  • alongamento do tendão de Aquiles;
  • Osteotomia do calcâneo (deslocamento cirúrgico do osso do calcanhar), que pode ajudar a realinhar o retropé;
  • reconstrução de tendões específicos, como o tendão tibial posterior.

É possível, ainda, tomar medidas para evitar o desconforto, diminuindo seus fatores de risco. Isso significa manter sua pressão arterial, peso e diabetes sob controle.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como ortopedista em São Paulo!

Posted by Dr. Thiago Bittencourt in pé chato , Todos