Tendinite do tendão tibial posterior

Tendinite do tendão tibial posterior: o que é?

A tendinite do tendão tibial posterior é uma lesão provocada pelo esforço e degeneração dessa estrutura, resultando em uma inflamação aguda. Se não tratada aos primeiros sinais de dor, pode se agravar, causando deformidade do pé.

Entenda mais sobre o assunto neste artigo.

O que são os tendões?

Os tendões são estruturas que ligam os ossos e os músculos. São responsáveis por movimentar um osso durante a contração muscular, possibilitando, assim, o movimento de uma articulação. Quando existe excesso de peso ou trauma sobre a estrutura, pode haver um processo inflamatório, denominado tendinite.

O tibial posterior está localizado na parte de trás da perna, na região da panturrilha, e sob o osso do lado de dentro do tornozelo. Ele é utilizado na flexão plantar (dobrar o pé para baixo) e para inverter os pés (virar o pé para dentro).

Dessa forma, uma tendinite do tibial posterior é uma inflamação do tendão nessa região.

Leia mais: Tudo o que você precisa saber sobre a tendinite

Sintomas da tendinite do tendão tibial posterior

Os sintomas podem surgir após a prática de atividades físicas, como caminhada, corrida. Pode ocorrer, inclusive, após subir e descer escadas e, ainda, após trauma ou torção do tornozelo.

Geralmente, os indivíduos relatam dor na parte interna do pé, na região do arco, que pode irradiar em toda extensão do tendão tibial posterior. Em alguns casos, há dor e sensibilidade à palpação.

Em síntese, os sintomas podem ser resumidos como:

  • dor na parte interna do pé;
  • dor ao forçar o pé para fora e para dentro;
  • ranger do tendão, quando ele se move;
  • dor durante e após atividades físicas.

Algumas medidas, entretanto, podem aliviar os sintomas até o exame de um médico especialista. Pode-se, por exemplo, aplicar compressa de água quente no local da dor, não ultrapassando o tempo de 10 minutos por aplicação.

Leia mais: Água quente ou fria: o que usar em caso de entorse de tornozelo?

Importância do tratamento e prevenção

É importante que o tratamento seja feito no início dos sintomas, com o intuito de evitar complicações da tendinite, como a disfunção do tibial posterior. Isso pode levar à queda do arco plantar e o achatamento do pé.

Leia mais: 5 tratamentos para pé chato

Além disso, quando não tratada adequadamente, a tendinite do tibial posterior pode causar problemas na articulação do quadril e coluna. Assim, em consequência, os joelhos podem sofrer desgaste e traumas devido à nova estrutura de funcionamento do membro.

Além da importância do tratamento precoce, a prevenção é o melhor método para esse tipo de problema. Nesse sentido, podem ser adotas as seguintes medidas:

  • fique atento à sua postura, pois o pé é responsável por manter o equilíbrio do corpo;
  • qualquer problema não tratado pode atingir outras partes do corpo;
  • prefira calçados com sola de borracha;
  • no caso de atividades esportivas, use os calçados específicos conforme o esporte;
  • alongue todo o corpo antes e após a atividade física;
  • use palmilhas ortopédicas, principalmente se já tem histórico de problemas nos pés.

Qualquer suspeita da tendinite do tibial posterior, é importante consultar um especialista para diagnosticar corretamente o distúrbio e iniciar o tratamento adequado.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como ortopedista em São Paulo!

Comentários
Dr. Thiago Bittencourt

Posted by Dr. Thiago Bittencourt