cirurgia de pé

Cirurgia de pé: conheça 3 casos comuns em que o procedimento é indicado

Muitas situações nas quais o corpo reage erroneamente ou apresenta alguma incorreção demandam uma intervenção cirúrgica. No caso dos pés, existem alguns casos em que uma cirurgia de pé é de fato necessária: seja como uma medida para facilitar o caminhar, o ato de pisar ou mesmo um aspecto estético.

Assim como acontece no caso de qualquer intervenção médica, é importante que o paciente tenha primeiro perfeita clareza em relação ao seu diagnóstico. Com as orientações do especialista, o paciente poderá ter uma compreensão maior de como a operação pode resolver seu problema e também a como aproveitar com mais amplitude os benefícios que o procedimento oferece.

Conheça agora 3 indicações bastante comuns do procedimento cirúrgico para pés!

Cirurgia de pé: indicações recorrentes

1. Joanetes

Para quem tem joanete em um ou nos dois pés, a cirurgia de pé pode ser a solução. É claro que em alguns casos o uso de órteses e calçados específicos pode resolver o problema, mas situações em que a deformação é muito visível ou então prejudica o aspecto físico do pé exigem uma operação cirúrgica. Dores, inflamações, dificuldade para caminhar ou transtorno na hora de colocar um calçado são algumas queixas que podem ser relevantes na hora de se indicar ou não uma cirurgia para correção.

Sem sentir dor nenhuma durante a ação, o cirurgião faz a correção necessária com o menor índice de ato invasivo possível. Algumas estruturas como os ossos, os nervos e os tendões podem ser alterados para retirar o joanete.

Leia mais: Como é o pós-operatório da cirurgia de hálux valgo

2. Pé chato

Outro problema a ser resolvido com uma intervenção cirúrgica é o chamado “pé chato”. Assim como o joanete, o pé chato também pode não manifestar nenhum sintoma de imediato. No entanto, com o decorrer do tempo, a pessoa pode ter dificuldade para caminhar ou correr e ainda ter a incidência de dor.

Como o pé adquire um aspecto irregular, a cirurgia procura enxertar a parte achatada para que ele se mantenha em uma medida exata e correta para caminhar ou se equilibrar. Em alguns casos, é até possível estender o músculo da panturrilha para que o pé tenha uma estabilidade correta. Certas pessoas precisam de duas cirurgias em uma: a retirada de osso de um dos lados do pé e transplante deste mesmo osso para o lado “desabado”.

Leia mais: Quando é indicada a cirurgia para correção do pé chato

3. Diminuição dos dedos

A cirurgia estética-ortopédica do momento. Por incrível que pareça, a indicação da diminuição dos dedos ocorre mais por razões clínicas do que devido a uma situação efetivamente estética. Em casos de pé cavo, diabetes intensa ou joanete grave, os dedos evoluem em “garra”, e a única maneira de retificá-los é diminuindo a estrutura óssea.

A cirurgia também pode ser utilizada para tratar calosidades ou discrepâncias de tamanho que atrapalhem o uso de calçado. É necessário, entretanto, um diagnóstico bem detalhado, pois somente em casos específicos a cirurgia de pé pode ser indicada para solucionar esse tipo de problema. Exames de raios-X, ressonâncias e outras análises, nesse sentido, são utilizados para fundamentar as orientações do médico acerca do melhor tratamento.

Leia mais: Dedo em garra: diagnóstico e tratamento

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como ortopedista em São Paulo!

Comentários
Dr. Thiago Bittencourt

Posted by Dr. Thiago Bittencourt